Igor Rykovski nos conta sua história. Ele adotou dois cachorros com sua namorada da época e explica sobre a enorme responsabilidade que é cuidar de dois cachorros.

Igor Rykovski com um de seus cachorros: Apollo e Kyra.
Foto: Igor Rykovski
Igor Rykovski com um de seus cachorros: Apollo e Kyra.


Adoro cachorros, mas devido a vários fatores e também pela enorme responsabilidade que ter um cachorro acarreta, ainda não adotei um. Mas em breve pretendo fazê-lo. Hoje falarei pra vocês um pouco sobre adoção de cachorros.

Leia mais:  Filhote fofo parece não saber de onde soluço está vindo

O Igor Rykovski postou no nosso grupo sobre  catioros e gatíneos  sobre como ele adotou dois cachorros. Um se chama Apollo e a outra se chama Kyra. O Apollo foi adotado após muita insistência da ex-namorada do Igor e a Kyra... Bom, também. Apollo era um cachorro em situação de rua e a Kyra, um caso mais grave, foi adotada após ser encontrada no esgoto, toda suja de óleo.

Cachorro tirando aquele cochilo esperto.
Foto: Igor Rykovski
Cachorro tirando aquele cochilo esperto.


"Isso já tem 6 anos e parte da minha vida gira em torno dos dois. Eu sempre procuro casas com quintal grande. Sempre avalio o lugar que eles vão se adaptar melhor. Nunca faço uma viagem de mais de 3 dias."

Com o fim do relacionamento, ele acabou ficando com os cachorros e nos explica bem sobre como é difícil, mas também prazeroso ter cachorros em casa. 

Kyra foi encontrada num esgoto coberta com óleo, foi adotada e tratada com muito amor e carinho.
Foto: Igor Rykovski
Kyra foi encontrada num esgoto coberta com óleo, foi adotada e tratada com muito amor e carinho.


Confira o texto na íntegra:

"Deixa eu contar minha história, tentando ser sucinto. Morei junto com uma menina por um ano. Ela queria um cachorro de qq jeito e eu dizia que não, pois é muita responsa e tal. Li na internet que um coelho seria a opção perfeita. Pois bem, descobri que coelhos são coisinhas fofinhas e peludas de satanás. Bom, ele morreu do coração (R.I.P. Ramsés :( ) e aí veio a exigência por um cachorro novamente. Ela queria um Golden, mas eu disse que só pegaria um cachorro de rua se ela quisesse. Afinal, tem inúmeros precisando de um lar. Pois bem, no estacionamento do mercado onde fazíamos compras vimos um vira lata encolhido, triste. Eu disse:

- Vou abrir a porta do carro e chamar ele. Se vier é nosso.

- Negão, ve...

Ele pulou e sentou no banco. Esse é o Apollo.

Pois bem, logo depois, a ex começou a dizer:

- Nossa, tadinho dele sozinho. Vamos pegar uma irmãzinha pra ele.

Bom, eu relutei, até que a prima dela achou uma cadela com dias de vida jogada no esgoto, cheia de óleo. Pegamos a Kira e a tratamos com creme de leite, NAN, leite fresco.

Uns meses depois, meu relacionamento ficou insustentável e eu terminei. Ela disse:

- Ok, mas eu não posso ficar com os cachorros.

Entrei em desespero, afinal mal cuidava de mim. Muitas pessoas me aconselharam a doar os dois. Mas eu não teria nunca coragem de fazer isso com eles.

Aos poucos, eu fui aprendendo. Um dia deixei o portão de casa aberto e a Kira foi atropelada. Um tempo depois ela pegou babiose. Eu não tinha com quem contar, mas consegui tratar ela.

Já mudei de casa por conta de trabalho, umas cinco vezes. Eles sempre juntos, comigo.

Isso já tem 6 anos e parte da minha vida gira em torno dos dois. Eu sempre procuro casas com quintal grande. Sempre avalio o lugar que eles vão se adaptar melhor. Nunca faço uma viagem de mais de 3 dias.

Um amigo, disse há poucos dias:

- Cara, doa esses cachorros. Muda pra um ap. Para de perder tempo com isso. Você poderia tentar carreira em outro país.

Eu:

- Cachorro é família."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.