Cachorro que mora em uma casa distante, vai todos os dias a cidade passear Conhecido por todos, Bruno é recebido com carne e rosquinhas


Bruno, o cachorro que anda 6 km todos os dias para dizer oi as pessoas da cidade
Reprodução
Bruno, o cachorro que anda 6 km todos os dias para dizer oi as pessoas da cidade


Há mais de uma década, na pacata Longville, em Minessota, nos Estados Unidos, alguém tocou a campanhia de um homem chamado Larry LaVallee com um filhotinho de cachorro no colo. O estranho pensou que o animal fosse dos donos da casa e estivesse na rua, perdido.


Leia mais: Veja como proteger seu cachorro do barulho dos fogos


Um cão que gosta da liberdade


Bruno, na verdade, não tinha dono. Mas ele era tão simpático que Larry agradeceu a atenção do transeunte e ficou com o filhote para ele. Pouco tempo depois percebeu que o pequeno gostava, mesmo, era da rua. Preso, tentava se desvencilhar da coleira. Solto, ia longe. Muito longe.


O cachorro passou a caminhar os seis quilômetros e meio que separam sua casa periférica do centro da cidade todos os dias. Sua visita já é esperada, e seu caminho é conhecido. Ele passa pela prefeitura, por uma ou duas imobiliárias, por uma sorveteria, uma biblioteca e um pequeno mercado. Em todos os lugares, os moradores esperam ocão, agora idoso, com pedaços de carne e rosquinhas.

Bruno, o cachorro que passeia todos os dias pra cumprimentar as pessoas da cidade
Reprodução
Bruno, o cachorro que passeia todos os dias pra cumprimentar as pessoas da cidade




"Ele é nosso amigão, nós ficamos de olho nele o máximo possível", disse  Patrick Moran, dono de uma imobiliária que está sempre no itinerário do cachorro. "Semana passada ele passou aqui e ficou quase duas horas."

Na falta do Bruno em carne e osso, os visitantes podem dar uma passada na estátua de madeira inaugurada pelo prefeito em sua homenagem. Nela, há uma placa que o declara mascote e embaixador oficial da cidade.


Bruno
Reprodução
Bruno



É muito difícil, porém, não encontrar Bruno em um passeio rotineiro. Os donos afirmaram ao jornal americano que já perderam as contas de quantas ligações já receberam de estranhos preocupados com um certo cachorro que estaria perdido nas ruas.


Bruno, agora, é velhinho, e anda com dificuldade. Em alguns dias, não sai de casa para sua visita. "Ele já é idoso, então sabemos que não ficará muito tempo entre nós", afirmou Debbie LaVallee, que é quem cuida de Bruno hoje. "Mas seu legado está firmemente plantado em Longville" finalizou Debbie.

Estátua de madeira de Bruno
Reprodução
Estátua de madeira de Bruno



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.