A maior parte das brincadeiras de crianças mais tradicionais foram trazidas da Europa pelos imigrantes

Algumas brincadeiras de criança como esconde-esconde, pega-pega e empinar pipas (ou papagaios, dependendo do estado em que estiver) são passadas de geração em geração. Muitos adultos relembram sua infância quando as ensinam para seus filhos, mas poucos sabem da onde elas vieram. 

Leia mais: c oisas inesquecíveis para quem foi criança durante os anos 90

A maior parte dessas brincadeiras de criança veio da Europa e era praticada nas ruas desertas. Hoje em dia elas costumam estar presentes nos colégios e dentro dos condomínios de prédios ou de casas. 

Esconde-esconde

Esconde-esconde é uma da sbrincadeiras de criança mais famosas que existem.
shutterstock/Reprodução
Esconde-esconde é uma da sbrincadeiras de criança mais famosas que existem.

Essa brincadeira nasceu na Europa aproximadamente no século 18 e quem provavelmente trouxe para o Brasil foram os portugueses. Neste “jogo” enquanto uma pessoa (o "pega") fica com os olhos fechados contando até certo número combinado com os participantes, geralmente com o número de pessoas que estão participando (5 pessoas = 50), os demais participantes se escondem.

Pega-pega ou pique-pega

Muitas crianças ainda brincam de pega pega.
shutterstock/Reprodução
Muitas crianças ainda brincam de pega pega.

Esta brincadeira foi criada na Holanda em 1830 e logo se popularizou por todo o continente europeu. Ela pode ser jogada por um número ilimitado de jogadores. De modo geral, eles estão divididos nos que capturam e nos que devem fugir. Cada variante do jogo possui uma forma diferente de se estabelecer como os demais serão pegos, em geral por meio de um toque. Quem for tocado, automaticamente vira o pegador.

Pular corda

Pular corda é uma das brincadeiras de criança mais antigas.
shutterstock/Reprodução
Pular corda é uma das brincadeiras de criança mais antigas.

Não se sabe ao certo a origem e nem uma data de como esta brincadeira começou, mas acredita-se que os indígenas foram os criadores desta divertida brincadeira. No jogo básico dois participantes seguram cada um uma ponta da corda, batendo-a em círculo e de forma ritmada enquanto o terceiro integrante pula, assim que ela tocar o chão. Para deixar o jogo mais divertido tanto o ritmo das batidas quanto os pulos podem variar. Quanto maior o número de jogadores e mais rápido o ritmo mais difícil fica, ainda mais se os pulos forem coreografados por cantigas.

Escravos de Jó

Esta é uma brincadeira muito divertida.
shutterstock/Reprodução
Esta é uma brincadeira muito divertida.

Escravos de Jó foi criada na África, mas é mais conhecida aqui no Brasil. Este jogo veio para cá na época em que as grandes navegações trouxeram os escravos. A diversão no momento  que os participantes sentam em círculo, cada um com uma pedrinha ou outro objeto pequeno, que será passado de um integrante para o outro em uma coreografia de vai e vem seguindo o ritmo da música “Escravos de Jó”.

Queimada

Esta brincadeira é a que mais intimida os participantes.
shutterstock/Reprodução
Esta brincadeira é a que mais intimida os participantes.

A queimada nasceu na Colômbia, mas nos Estados Unidos existe um jogo chamado "dodgeball" que é muito parecido com esta brincadeira. Para a diversão começar você primeiro tinha que dividir o espaço em dois campos do mesmo tamanho, definindo os limites com um giz. Depois separar os participantes em dois times. A competição começa quando um lançador atira a bola em direção a um dos jogadores do time adversário, se este for atingido pela bola estará fora do jogo. Se alguém da outra equipe  conseguir segurar a bola, sem deixá-la cair no chão, quem sai da partida é o lançador. Mas se ela bater no chão antes de atingir alguém, a posse passa automaticamente para o time adversário que poderá atacar. Se algum jogador ultrapassar os limites do campo tentando fugir da bola será eliminado.

Leia mais:  Relembre alguns videogames antigos

Estas brincadeiras de criança fizeram parte da infância de muita gente e deixaram muitas saudades para muitas gerações.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.